Saúde
/

NÃO SE DEIXE CAIR

Uma queda pode transformar por completo a nossa vida e a daqueles que nos são mais próximos. Podendo trazer consequências de perda de mobilidade ou autonomia (mais, ou menos graves), como no caso de luxações, fracturas nas pernas, anca ou braços. Por isso, devemos dar uma atenção muito especial à prevenção das quedas no nosso dia-a-dia.

REDUZA OS RISCOS

Talvez sem darmos por isso, vivemos em circunstâncias que podem proporcionar fortemente as quedas. Há que ter atenção a variados factores, que vão desde a forma como a nossa casa está decorada, até ao tipo de medicação que tomamos.

Termos consciência dos factores que aumentam o risco de quedas ajudar-nos-á a evitá-los.

. Visão
As quedas, e em especial as quedas que se dão na rua, são muitas vezes resultado de não termos visto um determinado obstáculo, de termos calculado mal a altura de um passeio, etc.. Assim, verifique com regularidade como está a sua visão.

Se necessitar de óculos, não espere muito tempo para confirmar se as lentes que usa se mantêm adequadas. Caso ainda não use óculos, deve fazer também consultas regulares ao Oftalmologista, pois por vezes a perda de visão não é facilmente percebida pela própria pessoa. Sendo uma perda com uma gradualidade pouco acentuada, nem sempre ganhamos consciência de que já não vemos tão bem. Mas ao mínimo sinal de que “já não consegue ler aquelas letrinhas que lia…”, marque uma consulta com um especialista.

. Lar doce lar
Faça uma verificação a todos os compartimentos da sua casa, para eliminar ou minimizar tudo o que potencie uma queda.

Pode começar pelo chão, confirmando se este tem alguma irregularidade, ou se a superfície é escorregadia. Tenha especial atenção a chãos encerados, e a qualquer superfície que tenha sido acabada de lavar.

Outro ponto a analisar – e este importantíssimo – é a aderência dos seus tapetes ao chão. Verifique se os seus tapetes resvalam ao passar. Deverá ter sempre, entre o tapete e o chão, um protector antiderrapante ou fita-cola de dupla face. Procure nas casas de bricolage ou de decoração.

Veja ainda se há objectos decorativos no chão, em locais de passagem mais estreita, pois um leve desequilíbrio nessa zona, pode levá-lo a tropeçar e cair.

Caso já sinta alguma necessidade de se apoiar para caminhar, pode optar por colocar barras de apoio em zonas que estejam mais vazias, como um corredor.

Se tiver dificuldades de visão, pode até ter os puxadores de portas e armários num tom que contraste bem, para ser mais facilmente perceptível numa necessidade repentina de apoio. Isto é especialmente aconselhável na zona de banho, pois usualmente estaremos sem os óculos.

Também no banho poderá evitar alguns acidentes se não for necessário elevar a perna para entrar ou sair do mesmo. Poderá preferir uma banheira com uma pequena porta, uma base de chuveiro, ou uma área sem obstáculos de chão, apenas com uma porta que limita a zona de banho. Aconselhe-se sobre a melhor solução para a sua casa com um profissional.

. Converse com o seu médico
Verifique com o seu médico se alguma da medicação que toma poderá causar tonturas, sonolência ou algo que possa facilitar uma queda. Verifique também se alguma doença ou condição física que eventualmente tenha, possam propiciar estes acidentes. Poderá também visitar um Podologista, para um diagnóstico e aconselhamento sobre soluções que melhorem o seu andar.

É MELHOR PREVENIR… E É MAIS DIVERTIDO!

Depois de verificarmos o ambiente e a nossa condição física, sabemos que diminuímos o risco de quedas, mas… é impossível eliminá-lo na totalidade.

Assim, vamos então preparar-nos para cair!

Há muitas formas de nos defendermos no momento de uma queda. Deixamos aqui algumas ideias que ajudarão a que os danos causados sejam os mínimos possíveis.

. Dance muito!
Uma maneira de prepararmos o nosso corpo para uma queda é termos uma plena consciência do seu movimento e da sua flexibilidade. As aulas de Dança podem ajudar bastante nisto, nomeadamente aulas de Movimento, onde esta percepção do corpo e da sua movimentação são muito trabalhadas. Existem aulas específicas para séniores onde uma das vertentes exploradas é a forma como se cai.

Qualquer uma destas actividades contribui também para reforçar o equilíbrio, a força muscular e a agilidade – todos eles serão fundamentais para que as lesões de uma queda sejam mínimas.

. Tai Chi, Pilates, Yoga
Este “trio” tem feito grandes mudanças na vida de muitos séniores. Todos os benefícios de cada um deles são cada vez mais conhecidos, levando a que haja muitas academias e ginásios que já tenham aulas específicas para pessoas com mais de 65 anos.

Tal como na Dança e nas aulas de Movimento, aqui o trabalho sobre o equilíbrio é fundamental. Têm ainda a vantagem de serem actividades (aparentemente) mais calmas, mas com resultados profundos sobre a resistência e postura.

. Exercício em Casa
Se preferir, pode fazer alguns pequenos exercícios em sua casa. Numa área sem obstáculos e com pontos de apoio (caso no início precise de se segurar) faça pequenas rotinas que treinam o equilíbrio. Deixamos algumas sugestões:

– Em pé, mantenha-se apoiado apenas na perna direita, elevando lentamente o joelho esquerdo até fazer um ângulo recto. Mantenha-se assim alguns segundos. Desça a perna devagar e repita com a perna oposta.

Pode desafiar-se a si próprio, tentado aumentar cada vez mais o tempo que consegue ficar apoiado num só pé.

– Caminhe para o lado. Faça alguns metros a caminhar “como um caranguejo”, alternando passos mais largos com passos mais curtos. Poderá aumentar o desafio se cruzar os passos em cada percurso.

– Numa linha recta imaginária no chão, caminhe sobre a mesma sem deixar qualquer espaço entre cada pé. Junte sempre o calcanhar com os dedos do pé. Pode fazer isto caminhando para a frente ou para trás.

E QUANDO CAÍMOS MESMO…

Proteja a cabeça
. Baixe o queixo como se fosse enrolar-se sobre si próprio.
. Conforme o lado para o qual cair, levante os braços de forma a que protejam a cabeça na zona de impacto.
. Vire a cabeça. Se cair de frente, ao mesmo tempo que protege a cabeça com os braços, vire-a de lado para que a zona de impacto não seja a cara.

Encolha o corpo
Ao cair, encolha o corpo, flectindo as pernas e os braços (estes sempre acompanhando a protecção da cabeça). Os danos causados pelo impacto nos braços ou pernas esticados serão maiores do que se estes estiverem fletidos.

Vire o corpo
Na queda tente virar-se de lado, para que o impacto não seja completo nas costas ou na zona frontal do corpo. Este movimento alia-se facilmente ao movimento dos braços na protecção da cabeça.

Deixe-se rolar
Estando já no contacto com o chão, não deixe o corpo tenso. Deixe-se rolar, fazendo com que a agressividade da queda se distribua por várias zonas do corpo, diminuindo assim a força do impacto. Reduzindo esta força, reduz também a gravidade das mazelas resultantes da queda.

Ver Mais
Amenities not found.