Fora de Portas
/
Malta

MALTA: PATRIMÓNIO DA HUMANIDADE

Malta é um pequeno arquipélago localizado no Mediterrâneo, entre a Sicília e a costa do Norte da África. É um dos mais pequenos países da União Europeia, mas tem uma história que nunca mais acaba!

Neste pequeno roteiro, deixamos algumas razões para que faça as malas rumo ao encantador arquipélago de Malta.

CONHECENDO O ARQUIPÉLAGO
O arquipélago maltês é composto por três ilhas: Malta, Gozo e Comino, sendo Malta a maior ilha e o centro cultural, comercial e administrativo. Gozo é a segunda maior ilha em tamanho e a mais rural, caracterizada pela pesca, turismo, artesanato e agricultura. Comino é praticamente desabitada, mas com a mais bonita praia de todo o arquipélago.

As ilhas têm um óptimo clima durante todo o ano e o arquipélago, apesar de pequeno, tem muito para descobrir. Para além das suas praias, a história é outro elemento que está sempre presente nos diversos locais visitáveis classificados como Património da Humanidade pela UNESCO. O grande número de sítios arqueológicos torna a sua história muito diferente da de outros destinos mediterrâneos. Existem monumentos megalíticos, dolmens da idade do bronze, túmulos púnicos e restos de vilas romanas.

Também a mistura de estilos e tradições resultante dos diferentes povos que ocuparam Malta ao longo dos tempos, confere às suas ilhas uma cultura ecléctica e fascinante. Este pequeno território azul guarda História e histórias deixadas pelas diversas culturas que por ali passaram. Fenícios, cartagineses, romanos e bizantinos deixaram aí as suas marcas. O domínio dos ingleses, em Malta, durou até 1964, altura em que esta obteve a sua independência, tornando-se um estado membro da União Europeia em Maio de 2004.

Uma boa opção é que visite o arquipélago por altura da Primavera de forma a evitar as enchentes do Verão.

A MOVIMENTADA ILHA DE MALTA
Malta é a maior ilha do arquipélago com o mesmo nome, e detém alguns dos mais antigos edifícios do mundo.
A capital Valletta é quase um Museu ao ar livre. A Unesco classificou-a como Patrimônio Mundial nomeando-a como uma das áreas históricas mais concentradas do mundo. É uma cidade pequena, movimentada e com uma forte vida cultural, na vanguarda da Europa em arte e arquitectura e pode bem ser uma boa opção para alojamento.

O outro lado do Porto é também uma boa escolha para alojamento, principalmente se quiser sentir uma Malta mais sossegada e tradicional, sem o rebuliço da capital. É lá que estão localizadas as chamadas três cidades de Senglea, Cospicua e Vittoriosa, que nos oferecem uma visão fascinante da riqueza marítima das Ilhas. Construídas pelos Cavaleiros da Ordem de Malta, as três cidades foram um importante núcleo defensivo de Malta. Apesar de menos massificada em termos turísticos, esta região está cheia de palácios, fortalezas e igrejas antigas pelo que ir a Malta sem passar por ali, é quase como ir a Roma e não ver o Papa!

Um dos locais classificados como Património Mundial, em Malta, é o Hipogeu de Hal Saflieni. Este tesouro pré-histórico é um cemitério subterrâneo, formado por diversas câmaras escavadas na rocha, interligadas entre si e distribuídas por três níveis distintos que foram sendo acrescentados ao longo dos tempos, debaixo do solo. Esta enorme estrutura arqueológica, é visitável e encontra-se no sudeste da ilha.

Ainda na ilha de Malta estão localizadas duas cidades, muito próximas uma da outra: Mdina e Rabat, também de visita obrigatória.

A história de Mdina é antiquíssima e remonta a mais de 4000 anos! Esta cidade pode reivindicar as origens do cristianismo em Malta, uma vez que há dados que apontam para ali ter vivido o apóstolo São Paulo depois de naufragar nas ilhas, no ano 60 D.C. Esta é conhecida como a “a cidade silenciosa” pela sua fascinante atmosfera intemporal e por seus tesouros culturais e religiosos.

Também Rabat tem relíquias e sítios arqueológicos, que testemunham a importância da cidade durante o período romano. Por muitos séculos, ordens religiosas foram estabelecidas no município de Rabat como é o caso dos franciscanos, dominicanos e agostinianos. A Casa Romana Domus, as Catacumbas, a Gruta de San Pablo e os magníficos mosteiros e igrejas, são alguns dos lugares arqueológicos e históricos que se podem encontrar em Rabat.
Reserve ainda um dia para visitar a vila piscatória de Marsaxlokk, localizada ao sul da ilha de Malta, e muito conhecida pelos seus barcos Luzzu. Estas embarcações são um dos símbolos de Malta. Pintadas com cores alegres e com uns curiosos olhos na proa (Olhos de Osíris) que, diz-se, têm como função proteger os pescadores quando vão para alto-mar. Demore-se no cais de Marsaxlokk para apreciar o contraste obtido pelas cores dos barcos e a cor azul do mar. Dê um passeio pelo cais e visite o mercado tradicional onde pode aproveitar para fazer algumas compras de produtos locais.

O AMBIENTE RURAL DE GOZO
É a segunda maior ilha do arquipélago de Malta e é bastante mais calma que a animada ilha de Malta. O tempo ali corre bem mais devagar. Verde e rural, é o local ideal para quem quer usufruir de uns dias de descanso.

A paisagem é emoldurada com igrejas de estilo barroco e casas de pedra. O mar, por sua vez, convida a demorados mergulhos. A ilha está também repleta de locais históricos, fortes e templos pré-históricos.

Na sua passagem por Gozo, destacamos a cidade de Victoria, localizada no coração da ilha. É ali o centro de toda a sua actividade. Aproveite para se sentar na praça do mercado e apreciar a dinâmica do dia-a-dia das gentes locais. A cidade tem também uma vida cultural próspera com algumas atracções surpreendentes, como a ópera ou as corridas de cavalos.

Em Gozo está localizado o templo pré-histórico mais bem preservado do arquipélago – o Templo Ggantija – também classificado pela Unesco como Património Mundial de Malta. É notável pelas suas gigantescas estruturas da Idade do Bronze.

A LAGOA AZUL DE COMINO
A pequena ilha de Comino (que ocupa apenas 3,5 km2) está localizada entre Malta e Gozo e é praticamente desabitada. Carros não circulam por ali e tem apenas um hotel. De qualquer forma, se tiver possibilidade, visite! Principalmente se é amante da natureza, de caminhadas ou de fotografia. Ao percorrer esta pequena ilha, é possível sentir o cheiro da especiaria que lhe deu nome. A sua principal atracção é a Lagoa Azul, com as suas águas azul-turquesa e areia branca. Se optar por passar um dia neste pequeno paraíso, opte por ir cedo para assegurar um bom lugar na praia. Vai ver que vale a pena! Se é amante de praia, pode mesmo optar por ficar alojado no único hotel da ilha. Oportunidade única para usufruir de um pôr-do-sol inesquecível e se deixar embalar pelo silêncio deixado depois dos turistas abandonarem a ilha.

MARQUE NA AGENDA

Festival Internacional de Fogos de Artifício
Todos os anos repete-se um espectáculo incrível de fogo de artifício na cidade de Valleta. Em 2020 o festival terá lugar de 18 a 30 de Abril.

Għanafest
Em Junho os maravilhosos arredores do Argotti Gardens, em Floriana (Ilha de Malta), enchem-se de música tradicional Maltesa com o canto folclórico maltês conhecido como Għana.

Festival Internacional de Jazz
Os principais artistas internacionais e malteses apresentam uma mistura ecléctica de estilos de jazz. O festival acontece em Julho durante três noites no Ta ‘Liesse, em Valletta.

Festival Mediterrânea
Este evento anual acontece em meados do Outono na ilha de Gozo, numa mostra cultural e artística da ilha. Concertos de ópera, conferências, passeios e excursões de campo em lugares antigos e históricos, são algumas das iniciativas realizadas.

Informações úteis:
www.visitmalta.com

Ver Mais
Amenities not found.